Aquecimento por susceptibilidade
Aquecimento por susceptibilidade

Aquecimento por susceptibilidade

Esse aquecimento é feito por um material com capacidade de absorver energia eletromagnética e convertê-la em calor. É um material metálico condutor que é usado para transferência de calor para outra peça, metálica ou material não-condutor, que é utilizado para transferir o calor para o alvo por condução ou radiação.

Esse material é muitas vezes feito de grafite, pois é altamente resistente, aceita muito bem a usinagem e temperaturas de até 3.000 °C (5.430 °F). Alternativamente eles também poderiam ser feitos de aço inoxidável, molibdênio, carboneto de silício, alumínio ou outros materiais condutores.

Sua disposição pode ser na forma de um cadinho, disco, tubo, uma camada no material, ou quaisquer formas melhores, dependendo da aplicação.

Vários outros exemplos de aplicações de derretimento em cadinho de materiais não condutores como o vidro, aquecimento de fluidos em um tubo, selamento de plástico, fabricação de compostos termoplásticos, etc.

Vantagens do aquecimento por indução:

Quando ocorrer o aquecimento por susceptibilidade por indução, pode-se atingir as seguintes vantagens:

  • Maior precisão e velocidade
  • Controle do aumento da temperatura através do uso de pirômetros ópticos ou termo-conectores
  • A uniformidade da temperatura na superfície pode ser alcançada pelo formato da bobina
  • Pode ser integrado em linhas de produção
  • Economia de energia

Para aquecimento susceptível, normalmente utilizam-se geradores de 1 a 20 kW, dependendo das peças e requisitos da aplicação.

Indústrias relacionadas a este processo são eletrodomésticos e indústria de alimentos.